Chico César e Zeca Baleiro se irmanam em disco autoral situado entre a aridez do sertão e o calor do verão urbano

  • 04/03/2024
(Foto: Reprodução)
Cantores harmonizam influências diversas nas 11 parcerias do primeiro álbum em dupla, 'Ao arrepio da lei', e estreiam em Curitiba na sexta-feira, 8, o show da turnê que percorrerá o Brasil ao longo do ano. Zeca Baleiro (à esquerda) e Chico César lançam o álbum 'Ao arrepio da lei' com 11 músicas que ampliam a parceria iniciada pelos compositores em 1995 Vange Milliet / Divulgação Capa do álbum 'Ao arrepio da lei', de Chico César e Zeca Baleiro Vange Milliet com arte gráfica de Andrea Pedro Resenha de álbum Título: Ao arrepio da lei Artistas: Chico César e Zeca Baleiro Edição: Saravá Discos / Chita Discos Cotação: ★ ★ ★ 1/2 ♪ Dois anos após anunciarem o primeiro disco a dois com o single duplo Lovers + Respira (2021), Chico César lançam enfim o álbum, intitulado Ao arrepio da lei e posto em rotação nos players de áudio na sexta-feira, 1º de março. Com sete canções inéditas entre as 11 músicas que compõem o repertório inteiramente autoral, o álbum Ao arrepio da lei amplia parceria apresentada há 29 anos com a gravação de Pajelança no primeiro álbum da cantora e compositora paulistana Vange Milliet, lançado em 1995. Artista que trabalhou com Chico César no início da carreira de ambos em São Paulo (SP), em 1988, quando ela era fotógrafa e ele ainda se debatia entre o jornalismo e a música, Milliet assina a foto da capa do disco e as imagens do material promocional do álbum gravado com produção musical do violonista Swami Jr. Amigos desde 1991, ano em que Baleiro chegou a São Paulo (SP), o paraibano Chico César e o colega maranhense se irmanam neste álbum que transita entre a aridez do sertão nordestino e o calor do verão urbano, com ênfase nos sons da nação nordestina e na harmonização de influências que vão do baião de Luiz Gonzaga (1912 – 1989) ao sentimentalismo da canção popular brasileira, passando pela Jovem Guarda, a música italiana, o reggae e o soul nacional, entre outras referências musicais. Se em Mocó os artistas percorrem a rota severina dos retirantes de um sertão aquecido pela aspereza dos sons árabes, Lovers – faixa gravada com produção musical de Érico Theobaldo – areja o disco ao evocar a atmosfera romântica do reggae propagado nos bailes do Maranhão, estado do Brasil conhecido como a “Jamaica brasileira”. Destaque da safra autoral, a música-título Ao arrepio da lei cruza country com folk no acento western e nordestino desta faixa que soa como autobiográfica carta de intenções dos artistas ao abrir o álbum. Na sequência, a canção Bardo segue o seco e afia a lâmina da faca com versos como “Sigo respirando / Sem saber nem quando ou onde há paz / O meu corpo marcha / E vou atrás”. Entre a melancolia de Narcisos (balada introspectiva que entorna poesia em versos como “Eu vi violetas nuas / Narcisos a dançar / Vi através das luas / O céu chorar”) e a espirituosidade de Dislike (xote que tem a verve de Baleiro em versos sobre os bloqueios das relações amorosas nas redes sociais), Chico César e Zeca Baleiro apresentam Neon (canção de menor brilho no conjunto do disco e das obras do compositores), aceleram o beat para tangenciar o ritmo ágil do ska em Beije-me antes – na levada dos sopros orquestrados pelo trombonista Mestre Tiquinho – e incursionam pelo soul brasileiro em Verão, faixa produzida e mixada por Alexandre Fontanetti. A introdução de Verão remete ao soul de Hyldon – referência assumida de Chico César e Zeca Baleiro na composição – enquanto o refrão reverbera arranjos de discos de Cassiano (1943 – 2021) com as vozes do coro e o naipe dos metais orquestrados pelo clarinetista e saxofonista Nailor Azevedo, o Proveta. Cabe lembrar que Verão e Beije-me antes são faixas já apresentadas no single duplo editado pelos artistas em dezembro de 2022. Gravado aos poucos e concluído no segundo semestre de 2023, o álbum Ao arrepio da lei gera turnê pelo Brasil que estreia em Curitiba (PR) na sexta-feira, 8 de março, seguindo na sequência para cidades como Florianópolis (SC), Recife (PE), Brasília (DF), Porto Alegre (RS), São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG) e Rio de Janeiro (RJ). “Quero ver a geral se rebelar / Se voltar para o belo, rebolar / Tudo falta e a malta quer dançar”, avisam Chico César e Zeca Baleiro em versos da faixa final, Aglomerar. Como mostra o álbum Ao arrepio da lei, ainda surte efeito a pajelança que uniu as obras de Chico César e Zeca Baleiro em 1995. Zeca Baleiro (à esquerda) e Chico César estreiam a turnê do álbum 'Ao arrepio da lei' em Curitiba (PR) na próxima sexta-feira, 8 de março Vange Milliet / Divulgação

FONTE: https://g1.globo.com/pop-arte/musica/blog/mauro-ferreira/post/2024/03/04/chico-cesar-e-zeca-baleiro-se-irmanam-em-disco-autoral-situado-entre-a-aridez-do-sertao-e-o-calor-do-verao-urbano.ghtml


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Top 5

top1
1. Play That Funky Music

Wild Cherry

top2
2. Sister Golden Hair

America

top3
3. Lovin' You

Minnie Riperton

top4
4. We Are Family

Sister Sledge

top5
5. You Make Me Feel Brand New

The Stylistics

Anunciantes